Férmions ultrafios em redes óticas: o que podem nos ensinar sobre a Física da Matéria Condensada?

CBPF apresenta o colóquio

"Férmions ultrafios em redes óticas: o que podem nos ensinar sobre a Física da Matéria Condensada?"

com

Profª. Thereza Cristina de Lacerda Paiva 

(Universidade Federal do Rio de Janeiro)

 

19 de julho,terça-feira, às16h, no Auditório do 6º andar, CBPF

Resumo:

A habilidade de aprisionar átomos em redes óticas, cujo potencial cristalino é gerado por lasers contra-propagantes, a temperaturas ultra baixas, deu início a uma nova área de pesquisa, na fronteira entre a Física da Matéria Condensada, a Física Atômica e a Ótica. Nestes sistemas, átomos fermiônicos, como 40K e 6Li se comportam como elétrons em uma rede cristalina. Para simular o spin do elétron, dois estados hiperfinos diferentes para cada tipo de átomo são selecionados.  Ao contrário do que acontece nos sistemas de Matéria Condensada, nas redes óticas há um enorme controle sobre os parâmetros envolvidos: a distância entre os sítios da rede é determinada pelo comprimento de onda do laser usado, o tunelamento dos átomos de um sítio a outro é controlado pela intensidade do laser, as interações entre os átomos são controladas através de um campo magnético, podendo ser atrativas ou repulsivas, o potencial químico é facilmente controlável e não há desordem. Com todo este controle, é possível emular em um laboratório, não só os sistemas de matéria condensada propriamente ditos, como também os modelos simplificados que vem sendo propostos e estudados a décadas para descrever estes sistemas e não tem solução analítica conhecida. As redes óticas  representam um verdadeiro simulador quântico. Os principais desafios nesta área dizem respeito a temperatura: como conseguir o resfriamento necessário para observar diferentes fases quânticas ordenadas e como medir a temperatura. Neste colóquio vou discutir alguns avanços experimentais e teóricos recentes na área.

 

Sobre a palestrante: Profª. Thereza Crsitina de Lacerda Paiva – UFRJ

Fez graduação e mestrado em Física na PUC-Rio, e doutorou-se pela Universidade Federal Fluminense em 1999. Passou dois anos como pós-doutoranda na Universidade da California, Davis e depois como pós-doutoranda na UFRJ, onde foi contratada em 2002. Tem interesse na física de sistemas fortemente correlacionados, como supercondutividade, magnetismo. 

 

A entrada do colóquio é gratuita e aberta ao público, sem necessidade de realizar inscrição.