Grupo de Cosmologia Orientada para Observação

Introdução 

Dados observacionais de mais alta precisão da Cosmologia moderna são as medidas da radiação cósmica de fundo (RCF), cuja detecção em 1964 levou à concessão do Prêmio Nobel de Física a Arno Penzias e Robert Wilson em 1978.  A observação da forma de corpo negro desta radiação e a medida de suas flutuações, feitas pelo “Cosmic Background Explorer” (COBE), levaram à concessão de mais um Nobel na área de Cosmologia, aos pesquisadores  John C. Mather e George F. Smoot em 2006.  Medidas recentes precisas das flutuações de temperatura da RCF foram feitas pelo satélite WMAP (Wilkinson Microwave Anisotropy Probe) da NASA,  e novos dados de precisão ainda maior que os do WMAP vêm sendo obtidos pelo satélite PLANCK da ESA (European Space Agency), que já se encontra em fase de intensa coleta de dados.

A expansão acelerada do universo constitui um dos maiores desafios da Física, Cosmologia e Astrofísica contemporâneas. Desta forma, determinar a origem e natureza dessa aceleração cósmica significa dar um passo extremamente importante na compreensão da evolução de nosso universo.  

O universo em que vivemos é finito? Qual é a sua forma? Estas questões são de natureza topológica e estão entre os problemas fundamentais que a Cosmologia busca responder através de medidas de alta precisão da RCF.  Estas questões se tornaram passíveis de serem examinadas e respondidas face à riqueza de dados observacionais de altíssima precisão que vêm sendo colhidos por sondas espaciais WMAP (da NASA)  e PLANCK (da ESA).   O Grupo de Pesquisas em Cosmologia Orientada para Observação do CBPF vem desenvolvendo pesquisas motivadas por três grandes temas da cosmologia moderna relacionados à radiação cósmica de fundo, à aceleração e à topologia do universo. O primeiro diz respeito aos comportamentos anômalos, em grandes escalas angulares, observados nas medidas da radiação cósmica de fundo (RCF). O segundo está ligado à expansão acelerada do universo, inferida a partir das observações de supernovas do tipo Ia, e ratificada através de consistência com outras observações astro-comológicasrecentes. O terceiro eacute; de natureza topológica, e nasce de questões sobre a forma e tamanho do universo.