LHCb

O LHCb A Large Hadron Collider Beauty Experiment for Precision  Measurements of CP-Violation and Rare Decays, um dos quatro experimentos  do LHC, é formada  por uma colaboração de sessenta e seis  universidades e  laboratórios de 13 países e tem por objetivo principal estudar a  violação conjunta das simetrias Conjugação de carga e Paridade (CP),  nos setores dos quarks  beauty (b) e charm (c). Entrou em funcionamento em 2010. A observação de colisões de prótons com 7 e 8  TeV de energia de centro de  massa e com uma alta taxa de colisões, tem permitido ao   LHCb ter acesso a regiões  ainda não exploradas por outros experimentos, com observações com probabilidade de ocorrer da ordem de 1 em 10milhões no caso de partículas com  Beauty e da ordem de um para um bilhão para partículas charmosas. Cerca de duas ordens de magnitude maiores que experiências anteriores em alguns canais de desintegração.             Para participar deste projeto o grupo de sabores pesados do Centro  Brasileiro de Pesquisas Físiicas - CBPF decidiu em 2001 juntar esforços  com o grupo do Laboratório de Física de Partículas Elementares do Instituto  de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro - LAPE. Depois se somaram a PUC/RJ e  a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). No total, o grupo do LHCb Rio  tem uma participação de  dezoito pesquisadores com doutorado, um técnico em computação e dois técnicos de nível médio.           O grupo do LHCb no CBPF tem como principais interesses: Violação de CP em desintegrações do méson B carregado em três corpos,  desintegrações do méson charmoso  carregado em três corpos,  GRID computacional, eletrônica de detectores e detectores de fibras cintilantes.