CBPF sediará evento sobre o futuro do telescópio SOAR, instalado nos Andes chilenos

Postado em: 10/02/2017

O Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), sediará uma oficina na qual se discutirá que ciência deve ser feita na próxima década em um dos mais importantes experimentos astronômicos da atualidade: o telescópio SOAR.

O evento Workshop on SOAR Science 2020, que ocorrerá de 13 a 15 de março deste ano, no Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF, é organizado pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Itajubá (MG), pela Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill (UNC) e Universidade Estadual de Michigan (MSU), ambas nos EUA.

O SOAR (sigla, em inglês, para Observatório Austral de Pesquisa Astrofísica) é um telescópio descrito como “de porte intermediário, extremamente versátil, rápido, de óptica soberba e localizado em local privilegiado” – no caso, em Cerro Pachón, nos Andes chilenos, a 2,7 mil metros de altitude em relação ao nível do mar.

Com um espelho principal de 4,1 m de abertura, é um telescópio projetado para produzir imagens de alta qualidade – “melhor do que a de qualquer outro instrumento no mundo em sua categoria” –, por conta de sua tecnologia e das condições locais (céu escuro e baixa cobertura de nuvens). Com cerca de 10 equipamentos acoplados a ele, o SOAR coleta dados na faixa da luz visível e do infravermelho (‘calor’).

Segundo os organizadores do workshop – que também é um simpósio –, depois de 10 anos consecutivos de operação, é chegada a hora de planejar os trabalhos para a próxima década, para saber “que tipo de ciência os usuários gostariam de ver implementada” no SOAR.

O encontro irá destacar os principais resultados obtidos pelo telescópio até hoje, bem como apresentar e discutir novos programas científicos e instrumentação. “Os usuários do SOAR serão encorajados a compartilhar sua experiência e projetos futuros”.

 

Vista geral do telescópio SOAR, em Cerro Pachón, nos Andes chilenos (Crédito: SOAR)

 

O Workshop on SOAR Science 2020 ocorrerá simultaneamente em dois locais (Brasil e EUA), conectados por equipamento de teleconferência. Haverá a apresentação de palestrantes convidados, bem como espaço para comunicações orais, pôsteres e discussões.

O Comitê Organizador Local é formado por Chris Clemens, da UNC; Bruno Castilho, do LNA; e Jay Elias, do SOAR.

“O acordo atual do consórcio que mantém o SOAR termina em 2020, e este workshop inicia nossos trabalhos para traçar a estratégia científica e operacional do telescópio para depois daquele ano. Esperamos que a comunidade brasileira usuária do SOAR participe ativamente das discussões, para opinar sobre que estratégia científica deseja para seu telescópio no novo período”, disse Castilho, diretor do LNA.

 

O telescópio

O SOAR – que custou cerca de US$ 30 milhões (cerca de R$ 100 milhões) – foi financiado por um consórcio entre o NOAO (sigla, em inglês, para Observatório Nacional de Astronomia Óptica dos EUA); o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil), por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); a Universidade Estadual de Michigan (EUA); e UNC.

 

Nebulosa Elmo de Thor, em imagem obtida pelo telescópio SOAR, no Chile (Crédito: SOAR)

 

O Brasil tem participação de 30% no SOAR. Sete instituições brasileiras – entre universidades e institutos de pesquisa – participam do experimento, que começou a coletar dados em meados da década passada. O Brasil tem cerca de 120 usuários no SOAR.

Para a pesquisa astronômica brasileira, segundo especialistas, os resultados do SOAR têm preenchido uma lacuna entre aqueles obtidos pelo telescópio de 1,6 m do LNA, no pico dos Dias, e os de 8,1 m de abertura de outro experimento do qual o Brasil e outros quatros países (EUA, Canadá, Argentina e Chile) participam, o Observatório Gemini, com instalações no Chile (nas proximidades do SOAR) e no Havaí (EUA).

Empresas brasileiras participaram tanto da construção do domo do SOAR – com 66 metros de diâmetro e capaz de suportar uma estrutura de 70 toneladas – e da produção de instrumentos do telescópio.

 

Mais informações (em inglês) sobre o evento:

http://lnapadrao.lna.br/eventos/workshop-on-soar-science-2020


****************************************************
Núcleo de Comunicação Social - NCS/CBPF
E-mail: ncs_cbpf@cbpf.br