Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Comemoração anual do CBPF tem homenagem a pioneiro e efeméride

A ‘Comemoração Anual do CBPF’ – a partir de agora nome oficial da tradicional festa de fim de ano do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, no Rio de Janeiro (RJ) – é sempre um momento especial de celebração. Este ano, há, pelo menos, dois motivos a mais para fazer dessa confraternização uma ocasião especial. O evento homenageia um dos pioneiros do estudo da radiação cósmica na América do Sul, justamente no 70º aniversário de uma descoberta nesse campo de pesquisa que está na base da fundação do próprio CBPF, do desenvolvimento da física experimental no Brasil e do surgimento da estrutura político-administrativa da ciência e tecnologia deste país.

O pesquisador aposentado Alfredo Marques, ex-diretor do CBPF, será homenageado por seus amplos serviços prestados à física de raios cósmicos no Brasil. Marques foi um pioneiros da pesquisa em raios cósmicos na América Latina e grande especialista em detectores baseados em eletrônica. Dirigiu o CBPF na mais profunda crise financeira da instituição e teve papel essencial na passagem do centro de sociedade civil a órgão federal, em meados da década de 1970.

Homem de vasta cultura e violonista virtuoso, foi autor de dois livros publicados pelo CBPF sobre efemérides relativas à detecção do méson pi: César Lattes 70 anos César Lattes, a descoberta do méson π e outras histórias, este último em coautoria com o pesquisador emérito Amós Troper, também ex-diretor da instituição, e o pesquisador titular Francisco Caruso, o qual foi o organizador de Alfredo Marques: revivências, notas autobiográficas de Marques publicadas pela Livraria Editora da Física, de São Paulo (SP).

 

A efeméride

Na ocasião, serão também comemorados os 70 anos da descoberta do méson pi, que contou com participação decisiva do físico brasileiro César Lattes (1924-2005), então um jovem pesquisador trabalhando no Laboratório H. H. Wills, da Universidade de Bristol (Reino Unido). Responsável por manter prótons e nêutrons ‘colados’ – e, assim, garantir a coesão do núcleo atômico –, o méson pi (ou, atualmente, píon) foi descoberto em 1947 no ‘chuveiro’ de raios cósmicos, núcleos atômicos que bombardeiam a Terra a todo instante e cuja colisão com átomos da atmosfera causa uma cascata de novas partículas – muitas delas chegando ao solo.

A detecção do méson pi em Bristol em 1947 foi um dos feitos mais importantes da física do século passado. Uma das razões é porque resolveu uma questão sobre a qual grandes físicos teóricos e experimentais se debruçavam havia dez anos, relacionada a mistérios sobre a força que mantinha o núcleo atômico coeso – hoje, força forte nuclear.

No ano seguinte, Lattes seria o autor de outro feito científico, juntamente com o colega norte-americano Eugene Gardner (1913-1950), cujo impacto extrapolou o âmbito da ciência e adentrou a arena de questões importantes relacionadas à nova geopolítica do pós-guerra: a produção de méson pi no então maior acelerador de partículas do planeta, o sincrocíclotron de 184 polegadas, na Universidade de Berkeley, Califórnia (EUA). Para alguns historiadores, está aí a semente da chamada ‘Era das Máquinas’, uma nova forma de fazer física, de modo controlado, em laboratórios.

A divulgação desses feitos foi ampla nos EUA. No Brasil, ajudou a alavancar campanha que reuniu cientistas, militares, empresários, artistas, intelectuais, jornalistas, entre outros formadores de opinião, e que levou à fundação do CBPF em 15 de janeiro de 1949 e, poucos anos depois, do hoje Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

Outros destaques

Um pouco da história dos ‘70 anos do méson π com César Lattes’ será contada pelo pesquisador titular aposentado do CBPF Odilon Tavares, que trará material inédito para sua palestra. Físico nuclear, Tavares é um dos grandes especialistas na técnica das emulsões nucleares, a mesma usada por Lattes para detectar o méson tanto em Bristol quanto em Berkeley – uma emulsão nuclear é um tipo especial de fotografia em preto e branco, detector que teve papel fundamental em vários campos da física a partir do começo do século passado.

Outros destaques da comemoração serão a entrega do ‘Prêmio Melhor Tese do CBPF 2017’ – conferida a Pedro Cavalcanti Malta, orientado pelo pesquisador titular do CBPF José Abdalla Helayël Neto –, bem como a homenagem a funcionários recém-aposentados e àqueles que completam 30 anos de casa.

A fala de abertura será do diretor do CBPF, pesquisador titular Ronald Cintra Shellard, que reafirma o convite a todo(a)s servidore(a)s, funcionário(a)s, aposentado(a)s e aluno(a)s para o evento, que ocorre hoje, 14 de dezembro (quinta-feira), das 13h45 às 17h, no Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF, à rua Dr. Xavier Sigaud 150, Urca, Rio de Janeiro (RJ).

Haverá palestras de pesquisadores e servidores do CBPF cujos temas abordarão do prêmio Nobel deste ano e a gestão de pessoas até física quântica, nanopartículas aplicadas à biomedicina. Será feito também um balanço do Programa de Vocação Científica do CBPF (Provoc), que completa 20 anos e é voltado para alunos do ensino médio.

Um músico convidado fará a inauguração do piano, doado ao CBPF pelo pesquisador colaborador Antonio José Acciolly. O pianista fará entradas ao longo do evento. Ao final das atividades, os participantes receberam um presente dos organizadores, preparado especialmente para a data.

Finalizado o evento, haverá um coquetel de confraternização, para o qual todos os presentes estão convidados. 

O vice-diretor do CBPF, o tecnologista sênior Márcio Portes de Albuquerque, lembrou que o evento “permitirá que todos os servidores, funcionários e alunos celebrarem o esforço de um ano de muito trabalho”, disse ele, aproveitando para desejar a todos boas festas e um feliz 2018.    

 

Memória por Imagem

O Núcleo de Comunicação Social (NCS) do CBPF aproveita a oportunidade para anunciar o início de uma nova seção no portal da instituição: ‘Memória por Imagem’, projeto da Biblioteca do CBPF sob responsabilidade da servidora Francisca Valéria Fortaleza de Vasconcelos.

Todo mês, a nova seção trará pelo menos uma foto histórica, juntamente com um texto contextualizando a imagem. O NCS e o projeto ‘Memória por Imagem’ aproveitam a oportunidade para dar um ‘aperitivo’ ao(à)s leitore(a)s: um material inédito relativo a Lattes e o méson pi, recebido recentemente pelo NCS e já repassado ao projeto.

Veja abaixo o álbum de imagens selecionadas para este lançamento:

 

 

Três ‘inéditos’

O projeto ‘Memória por Imagem’ traz também nesta oportunidade três vídeos depositados em seu acervo, material praticamente inédito – pelo menos, para a nova geração de pesquisadores.

O primeiro é uma entrevista inédita do homenageado deste ano, Alfredo Marques, dada aos tecnologistas seniores Marcelo Portes Albuquerque, atual diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica-Rio, e Gabriel Luis Azzi, da Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico.

No segundo, Lattes faz palestra no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), no Rio de Janeiro (RJ), no início da década de 1990, ladeado por dois outros então membros importantes do CBPF, os físicos José Leite Lopes (1918-2006) e Neusa Amato (1926-2015) – esta última, uma das pioneiras da física no Brasil.

No outro vídeo, Lattes faz uma palestra, no CBPF, em meados da década de 1990, nas comemorações dos ’45 anos do CNPq’, expondo sua visão pessoal da história da física das partículas elementares. Ele é apresentado por Troper, ex-diretor do CBPF.

Os três vídeos podem ser vistos, em sua totalidade, no Canal do CBPF no YouTube: https://www.youtube.com/user/CBPFvideos

 

Mais informações:

Programação do evento: http://portal.cbpf.br/index.php/comemoracao-anual-do-cbpf

Alfredo Marques: revivências:

http://www.livrariadafisica.com.br/detalhe_produto.aspx?id=143185&titulo=Alfredo+Marques:+Reviv%C3%AAncias

Memória por Imagem: http://portal.cbpf.br/index.php/livros-online/60-biblioteca/147-memoria-por-imagem

Biblioteca do CBPF: http://portal.cbpf.br/index.php/sobre-a-biblioteca

Emulsões nucleares: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172011000200018

Raios cósmicos:

http://www.cbpf.br/~desafios/media/baixa_res/Folder_Raios_Cosmicos_BaixaRes.pdf

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página