Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Equipe de estudantes do Brasil vai às semifinais de competição no CERN

  • Publicado: Terça, 11 de Junho de 2019, 13h26
  • Última atualização em Terça, 18 de Junho de 2019, 21h19
  • Acessos: 1036

Equipe de estudantes brasileiros do ensino médio, coordenada por pesquisador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), está entre as 20 finalistas do ‘Beamline for schools competition’ (BL4S), competição organizada pelo Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN).

A equipe ‒ cujos integrantes são da cidade do Rio de Janeiro ‒ autodenominou-se ‘Jubarte’ (espécie de baleia) e tem como coordenador o físico experimental André Massafferri, pesquisador do CBPF ligado à Coordenação de Física de Altas Energias da instituição.

A BL4S convida estudantes de nível médio, de todo o mundo, a desenvolverem um experimento criativo na área de física de partículas. Sigilosas, as propostas são, então, enviadas para os organizadores do concurso, juntamente com a publicação de um vídeo no YouTube (ver ‘Mais informações’).

 

‘Som’ das partículas

O projeto brasileiro tem a intenção de ‘ouvir’ a passagem das partículas, por um tanque de água, quando bombardeadas por elétrons de um feixe gerado por um acelerador. O dispositivo capaz de detectar esses sinais é chamado de hidrofone e é responsável por capturar ondas sonoras propagadas pela água (daí, o nome Jubarte), transformando-as em sinais elétricos.

Único representante brasileiro entre os selecionados, o time ‘Jubarte’ é o terceiro grupo de estudantes a fazer parte do MasterBeam, programa criado há três anos por Massafferri e que conta a colaboração de Sérgio Duarte, Daniel Sasaki e Joel Medeiros, professores do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, no Rio de Janeiro (RJ). Este ano, o programa contou com a colaboração do tecnologista sênior Geraldo Cernicchiaro, do CBPF.

No MasterBeam, por oito meses, os alunos têm aulas semanais de física quântica, relatividade especial, física de partículas, bem como de física de aceleradores e detectores.

 

Despesas pagas

Por ter sido selecionado entre os 20 finalistas, o time brasileiro já foi premiado com um detector de raios cósmicos, partículas energéticas que, vindas do espaço, bombardeiam a atmosfera terrestre a todo instante, chegando ao solo.

“Trata-se de um trabalho muito motivador e divertido que envolve elementos que vão além do conhecimento tradicional de sala de aula, como aprender a trabalhar em grupo, com foco na entrega de um produto científico pronto e inovador”, disse Massafferri.

Na próxima etapa da competição, duas equipes ganharão uma estada de duas semanas ‒ com despesas pagas ‒ no DESY (Síncrotron do Elétron da Alemanha), em Hamburgo, para testar seus experimentos em um acelerador de partículas.  O resultado dessa última fase será anunciado ainda este mês.

 

A equipe Jubarte

Treinador: André Massafferri Rodrigues

Professores CEFET-RJ: Daniel Sasaki, Sergio Duarte, Joel Medeiros 
 
Alunos:
José Ricardo de Oliveira Araújo, 17 anos
Lucas Maia Fontes Piñeiro, 17 anos
João Victor Ferrer Morgado, 16 anos
Matheus Felix da Silva, 17 anos
José Montenegro Brandão Neto, 17 anos
Roger Rodrigues de Albuquerque, 17 anos
Matheus Citeli Nunes da Silva, 17 anos

 

Cassia Ramos

Núcleo de Comunicação Social

CBPF

 

Mais informações:

Página BL4S (em inglês): https://beamlineforschools.cern/

YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=AIB21AxHDJU

registrado em:
Fim do conteúdo da página