replica rolex rolex is still the best choice inside of the global watch market sector.
diamond painting made in usa.

what companies are selling legit cheap sex doll?

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Grupo do CBPF vence desafio internacional

  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2020, 16h47
  • Última atualização em Quarta, 04 de Março de 2020, 17h19
  • Acessos: 1841

Pesquisadores e tecnologistas do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), venceram um desafio internacional de identificação de sistemas de lentes gravitacionais em imagens simuladas. A competição foi proposta por um grupo de astrofísica da Universidade de Bolonha (Itália).

Lentes gravitacionais são fenômenos nos quais a luz tem sua trajetória alterada ao passar por grandes aglomerados de massa no universo ‒ os quais agem como gigantescas ‘lupas’. O estudo dessas lentes e sua modelagem são importantes, por exemplo, para a compreensão da distribuição da matéria escura no universo e a verificação precisa da relatividade geral ‒ esta última, é a teoria da gravitação proposta pelo físico de origem alemã Albert Einstein (1879-1955) em 1915.

Matéria escura ‒ cuja natureza ainda é misteriosa ‒ é responsável por cerca de 25% da composição do universo. Outros 70% (igualmente misteriosos) são atribuídos à chamada energia escura. Apenas 5% do universo são compostos por matéria ‘comum’, aquela que forma galáxias, estrelas, planetas, minerais, animais, plantas etc.

 

A equipe

A equipe vencedora do desafio -- autodenominada CAST (CBPF Arc Search Team ou Time de Busca de Arcos do CBPF) -- é formada por Clécio De Bom, do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca e pesquisador colaborador do CBPF; Patrick Schubert, Manuel Valentín e Luciana Dias ‒ estes últimos três trabalhando em projetos de pesquisa de desenvolvimento no CBPF ‒, Cristina Furlanetto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e Martín Makler, pesquisador titular do CBPF.

Todos atuam na área de inteligência artificial/processamento de imagens e cosmologia. Além do 1o lugar, o CAST ainda arrematou o 3o, 4o e 6o lugares. 

“A vitória demonstra um ganho de competitividade internacional de nosso grupo de inteligência artificial. Foram meses de muito trabalho. E essa vitória também demonstrou a necessidade do uso intensivo da computação [MultiGPU] desenvolvida no CBPF”, disse De Bom.

 

Da esq. para dir., Patrick, Marcelo, Martín, Paulo, Clécio, Pedro, Manuel, Marcos e Luciana

(Crédito: NCS/CBPF)

 

Parceria e apoio

Para participar da competição, o CBPF usou a infraestrutura com múltiplas unidades de processamento gráfico (ou MultiGPU). Batizado Sci.Mind, esse equipamento tem o poder de um supercomputador, e sua montagem é resultado de uma parceria com o Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes/Petrobras).

A caça às lentes gravitacionais contou ainda com a ajuda de ferramentas avançadas de inteligência artificial, como as chamadas redes neurais ‒ no caso, desenvolvidas com técnicas de auto machine learning (AutoML).

Esse ferramental computacional desenvolvido pela equipe do CBPF pode ser adaptado para áreas multidisciplinares, como análises de dados geofísicos, médicos e financeiros.

Os vencedores do desafio tiveram apoio de integrantes do Laboratório de Instrumentação e Tecnologias em Computacionais, do CBPF: Márcio Portes de Albuquerque e Marcelo Portes de Albuquerque, ambos tecnologistas seniores, e de uma equipe de formação mista ‒ Elisângela Faria (doutora em engenharia), Paulo José Russano (técnico de nível superior), Marcos Vinicius Silva (engenheiro), Pedro Russano (servidor técnico) e André Persechino (físico e doutorando no CBPF).

 

Carla Lustoza

Núcleo de Comunicação

CBPF

 

Mais informações:

Resultado do desafio: http://metcalf1.difa.unibo.it/blf-portal/gg_challenge.html

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página